Entorse do tornozelo

16/08/2016

A entorse do tornozelo é uma rotação violenta ou um movimento muito rápido da articulação, trauma mais freqüente na maioria dos esportes. Geralmente o pé vira para dentro ou para baixo, causando uma lesão na parte externa do tornozelo, ocorrendo assim, um estiramento ou ruptura de um ou mais ligamentos da articulação do tornozelo.

Quais são os sintomas?

• Dor contínua e localizada, variando de suave a intensa e independente de descarga de peso;

• Edema;

• Equimose;

• Impossibilidade de movimentar o tornozelo.

Em caso de entorse leve, a maioria dos pacientes se recupera completamente com um tratamento adequado, mas em alguns casos pode ser uma condição de instabilidade, dor ou rigidez, que também pode causar recaída.

As entorses são classificadas de acordo com a magnitude da lesão:

1°grau: Estiramento dos ligamentos e tendões sem lesões

2°grau: Lesão ligamentar parcial

3°grau: Lesão total de pelo menos um ligamento.

Cada entorse é diferente uma da outra, portanto é necessário um tratamento indicado pelo fisioterapeuta ou ortopedista.

Para tratamento inicial recomendo repouso, gelo, compressão, elevação do membro com o objetivo de minimizar o edema, aliviar a dor no tornozelo e permitir a recuperação o mais rápido possível.

Aplique o gelo três vezes ao dia por vinte minutos, mas não mantê-lo em contato com a pele para evitar queimaduras, coloque 3-4 cubos de gelo em um copo de água e manter em uma bolsa de gelo que pode estar em contato com a pele.

Como prevenir a entorse do tornozelo?

• Usar sapatos apropriados e de tamanho ideal, durante o exercício.

• Alongar antes e depois de atividades atléticas ou de recreação.

• Evitar mudanças bruscas de posição e de direção.

• Enfaixar os tornozelos ou usar tornozeleiras durante esportes vigorosos, especialmente, se já houver uma lesão antiga.

A fase de imobilização não deve demorar muito, porque não é curativa, torna o paciente mais temível e causa rigidez articular.

Após esta fase breve, os objetivos da reabilitação são:

1. A redução ou desaparecimento da dor para retomar as atividades diárias: trabalho, dirigir, esportes etc.

2. A melhoria do trofismo muscular, ou seja, a força dos músculos estabilizadores da perna a fim de favorecer um bom controle da articulação.

3. Recuperar a capacidade proprioceptiva, ou seja, reeducar o pé para o perfeito controle da postura e do movimento.

Sempre faça os seus exercícios acompanhados por um profissional.

Dra Claudia Cherobin

Fisioterapeuta Rpgista

Spazio Fisio – Rua Cel. João Leme, 460 9º andar
Ed. New York – Centro – Bragança Paulista
Tel. (11) 3404-4430/ 99626-6644
www.spaziofisioterapia.com.br

Última modificação em Ter, 16 de agosto de 2016 08:16


Escrito por:

Portal Entre Elas



Comente

Colunas