O que O Diabo Veste Prada pode nos ensinar sobre profissionalismo

07/01/2016


Este é aquele tipo de filme que assistimos uma vez e depois sempre queremos assistir mais. E se engana quem acha que apenas as mulheres são fãs de O Diabo Veste Prada: o contexto profissional abordado, em paralelo às questões do mundo da moda, faz com que a história seja um verdadeiro aprendizado para ambos os sexos.

Pensando nisso, o site Jogo de Damas, que promove o empoderamento empreendedor e profissional feminino, criou uma lista com 6 lições passadas pelo filme e, como o nosso objetivo no Portal é similar, tomei a liberdade de pegá-las emprestadas para colocar aqui.

Confira:

1 SONHOS X REALIDADE: Andy (Anne Hathaway) é uma garota que, como todas nós, sonha em ter um carreira de sucesso. Então, após terminar a faculdade, ela vai morar em NY com aquela certeza que em pouco tempo irá encontrar o emprego dos seus sonhos. Mas, a realidade bate em sua porta, e com dificuldades para conseguir o emprego que tanto deseja ela se candidata a uma vaga que não tem muito a ver com o que ela quer para a sua carreira, afinal, ela precisa pagar o aluguel para se manter em Nova York.

A realidade é bem diferente dos sonhos, isso não significa que eles não sejam possíveis, afinal, tudo que você deseja pode sim se tornar realidade, é só acreditar e correr atrás para que isso aconteça. Mas para chegar até lá, as vezes temos que abrir mão de algumas coisas e passar por alguns sacrifícios.

2 – FOCO NO RESULTADO: Miranda (Meryl Streep), apesar da gestão agressiva e autoritária, faz a sua equipe funcionar. Como todo chefe, ela está ali para cobrar resultados, não importa se a maneira como ela faz é errada, afinal, ela consegue os resultados que deseja.

No seu trabalho, seu chefe sendo legal ou não o que ele quer de você no final do dia é resultados. Caso você não consiga – tchau e benção, meu bem – porque ele vai colocar outra pessoa no seu lugar ou vai falar.

3 – FAZER O IMPOSSÍVEL SER POSSÍVEL: Após uma mancada de Andy, Miranda resolve “pegar pesado” e solicita que ela arranje o manuscrito do novo livro do Harry Potter para as suas filhas. Quando Andy está quase desistindo e percebe que não vai conseguir resolver a tarefa, ela tem uma luz, e no final ela consegue entregar o manuscrito solicitado (tudo fruto do networking e contato feito em um evento) e, faz um pouco mais do lhe foi pedido, assim consegue também surpreender a sua chefe.

No seu dia a dia, tenho certeza que já se deparou com uma situação em que, primeiramente, parecia impossível de se realizar, mas que no final deu tudo certo, tornando o impossível possível. Precisamos pensar mais fora da caixa, sair da nossa zona de conforto e ir para a zona de esforço. Para uma carreira de sucesso, precisamos prever situações, ter pró atividade e, principalmente, focar na solução e não no problema.

4 – A PRIMEIRA IMPRESSÃO É A QUE FICA: Andy não é o tipo de pessoa que trabalharia para a revista de moda Runway. Afinal, ela não se importa com moda, não gosta de maquiagem e não arruma o cabelo. Mas ela teve que se adaptar ao meio que estava vivendo, percebeu que não podia mais se vestir de qualquer jeito, então, resolve dar uma repaginada na imagem. No final, ela acaba gostando da nova Andy que até então não sabia nem o que era um Dolce & Gabbana.

Andy dá uma “virada de chave” quando muda a sua maneira de vestir, e passa a se comportar como uma profissional de uma revista de moda. Isto faz com que seu trabalho seja visto e respeitado por sua chefe e colegas de equipe.

Por mais que algumas pessoas ainda digam que se preocupar com a aparência é supérfluo, ela é a primeira coisa que as pessoas veem. Se vestir bem agrega valor, seja para uma entrevista de emprego ou no ambiente de trabalho. Logo, se preocupar com o que irá vestir é importante, pois sua imagem pessoal é a primeira impressão que fica.

5 – NÃO ESPERE RECONHECIMENTO OU ESTRELINHA NO FINAL DO DIA: Na cena na qual Andy não consegue um voo de retorno para Nova York para Miranda, o que faz com que a chefe acabe perdendo o recital de música das filhas, faz com que Andy leve uma “mijada”. Concordo que era humanamente impossível marcar um voo com uma tempestade, e Miranda poderia ter sido mais compreensiva neste caso, mas podemos analisar a reação da Andy nesta cena. Ela sai correndo para chorar para o Naigel, seu colega de trabalho, e reclamar que está se esforçando ao máximo.

Acho que aqui é possível observar que o ser humano tem uma grande necessidade de ser reconhecido pelo seu esforço. Aquele velho tapinha nas costas é importante, faz bem para o ego e é uma maneira de você perceber que o seu trabalho está bom e que esse é o caminho. Mas com o tempo você acaba se tornando escravo desse reconhecimento e parece que o seu trabalho só será bom se ganhar uma estrelinha ao final do dia. Desapegue disso, confie no seu taco, tenho certeza que você será mais feliz quando não criar expectativas com relação ao seu reconhecimento.

6 – SACRIFÍCIOS TEMPORÁRIOS, VITÓRIAS PERMANENTES: No filme, Andy tem um namorado, mas eles acabam rompendo o relacionamento porque ela está trabalhando muito e não tem mais tempo para ele e os amigos (Gestão do tempo é uma tarefa difícil assim como ter que “escolher” entre amor e carreira, né?). O objetivo de Andy não era trabalhar com Miranda o resto da vida, ela apenas queria ficar um ano no cargo para que, depois dessa experiência, ela conseguisse abrir portas para o emprego dos seus sonhos.

Ter pessoas ao seu lado, que entendam esses sacrifícios, é fundamental para você alcançar os seus objetivos. Não basta apenas ser namorado ou marido, tem que ser parceiro para enfrentar as dificuldades juntos (a família é muito importante na hora de empreender ou se seguir a vida profissional). “Sacrifícios temporários, vitórias permanentes”.

Ok, pode ser que você não tenha entendido algumas referências, caso não tenha visto o filme, mas no geral as lições são super válidas, não é mesmo? Sem contar que pode ser a deixa para você assistir o quanto antes.

Lembrando que todas as lições foram retiradas do site Jogo de Damas e publicadas aqui em suas formas originais, citando a devida fonte.

E se você já assistiu O Diabo Veste Prada, existe alguma coisa que aprendeu e gostaria de nos contar? É só deixar nos comentários. 

Por Taty Ferrari
Publicitária, Consultora de Marketing e Criadora de Conteúdo
www.publicitaty.com.br
Facebook Taty Ferrari -Twitter @publicitaty - Instagram @tatypublicitaty

Última modificação em Qui, 07 de janeiro de 2016 21:55


Escrito por:

Portal Entre Elas



Comente

Colunas