Tempo de ser criança

01/11/2012

Escrever sobre as crianças, sem lembrar, da nossa própria infância, ou daquelas músicas que marcaram essa fase, é quase uma missão impossível. Mais do que isso, é uma viagem dentro da máquina do tempo.


Tempo que faz crescer e passa tão rápido...
Ainda bem, que existe para cada pai e mãe a oportunidade de reaprender a brincar através das experiências dos seus próprios filhos.  Mas será que os pais estão realmente aproveitando essa oportunidade?


Sabemos que os brinquedos mudaram e os interesses das crianças também, e que com o passar dos anos, a criança tem menos tempo para ser criança.
Podemos perceber isso em outros aspectos da vida delas como, por exemplo, nas suas roupas e acessórios, nos celulares que já usam, no modo de falar e nos cuidados exagerados com a beleza. Isso, nada mais é, que o estilo jovem de viver invadindo a infância.


São influências externas que cada família permite que entre em seus lares, a questão não discutir se isso é certo ou errado, cada um educa seu filho como acha melhor, mas alertar das consequências.


Como se não bastasse isso, as crianças ainda vivem uma rotina de mini executivos, com a agenda lotada de atividades. É claro, que queremos o melhor para os nossos filhos, mas preocupados em prepará-los para o futuro, esquecemos que eles precisam de tempo para ser criança, agora.


A consequência disso? Crianças e pais frustados, onde um não consegue corresponder às expectativas do outro. Lembre-se: a atividade que mais vai desenvolver a criatividade do seu filho e fazer com que ele cresça de uma maneira saudável é brincar, brincar e brincar.
São as experiências que adquirimos na infância que nos tornam adultos interessantes, ou seja, para que seu filho seja aquele profissional de sucesso que você espera, ele precisa primeiro, ser criança. E os pais estão estimulando isso?


É claro, que muitos pais passam o dia fora de casa, e a agenda excessiva tem o papel de aliviar essa culpa que os pais sentem, mas é a qualidade e não a quantidade de atividades que importa, é a qualidade e não a quantidade de relacionamento que importa, portanto, reserve espaço na sua agenda e na do seu filho para brincar, permitir que ele seja criança e que vocês sejam felizes juntos.


Dicas


Abasteça sua casa com material de artes. Papéis variados, giz de cera, aquarela, lápis de cor, canetas coloridas, revistas velhas, cola, tesoura e massinha. Se você tem medo da sujeira, estabeleça um espaço para as atividades.

Opte por brinquedos criativos. Brinquedos que tenham apenas uma função podem limitar a imaginação. Priorize os que possibilitem várias funções, como blocos, fantoches e bonecos.

Aproveite a sucata de forma divertida. Procure objetos que não são mais usados e aproveite os descartáveis, como uma caixa velha, um rolo de papel toalha, uma lata de Nescau. A criança terá total liberdade para criar o que quiser.

Limite o tempo de televisão. As crianças brasileiras assistem até cinco horas diárias de TV. Controle o exagero.

Leia, leia, leia. Além de estimular a criatividade, os livros têm o papel de enriquecer a linguagem. Mesmo que ainda não leiam, as figuras ativam a imaginação. Leia e conte histórias.

Brinque com água. Basta uma bacia e alguns copinhos. Lavar o quintal, deixá-la brincando na banheira ou dar um balde cheio de água irá alegrar seu filho.

Fique ao ar livre. Frequente parques. As crianças precisam correr. O desenvolvimento motor se dá pela atividade física. Brincar com areia também é importante. Não se importe com a sujeira. O ganho emocional do seu filho valerá a pena.


Papais, seus filhos ainda não sabem disso, mas você, infelizmente, já sabe que a tal máquina do tempo não existe, então, não apresse o relógio.

Última modificação em Qui, 01 de novembro de 2012 15:36


Escrito por:

Portal Entre Elas



Comente

Colunas